Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Comunidade acadêmica busca soluções para problemas enfrentados pela Uneal
09/07/2012 - 08h30m

Comunidade acadêmica busca soluções para problemas enfrentados pela Uneal

Construindo a autonomia

Comunidade acadêmica busca soluções para problemas enfrentados pela Uneal

A Comissão de Mobilização da Universidade Estadual de Alagoas intensificou os trabalhos nos campi, desde a última semana de junho. Instituída em sessão do Conselho Superior, a Comissão é composta por representantes da Reitoria, dos Sindicatos dos Professores e Técnicos e do Diretório Central dos Estudantes. O objetivo da CM é democratizar o acesso da comunidade acadêmica às informações institucionais, dando visibilidade às demandas da universidade e promover a discussão.

Na segunda-feira, 25/06, os integrantes do grupo apresentaram uma Carta Aberta, em reunião, na Sala dos Conselhos, no prédio da Reitoria. Na ocasião, o professor Marcos Pontes explicou o objetivo da Comissão, bem como a importância de a comunidade acadêmica participar do movimento que visa à conquista da autonomia na Uneal.

Na terça-feira, 26, a Comissão esteve no Campus II, em Santana do Ipanema, onde, segundo os membros da equipe, o encontro foi bastante produtivo. Nos dias 02 e 03 de julho, os campi III e IV, em Palmeira dos Índios e São Miguel dos Campos, receberam, respectivamente, o grupo.  No dia 09 de julho, será a vez dos campi de União dos Palmares. No Campus de Maceió a data ainda não foi definida.

“A ida aos campi é o primeiro passo dado no processo de mobilização, uma vez que a comunidade precisa ser esclarecida sobre o que acontece na UNEAL. Além disso, gerar debates e uma consciência crítica é uma das funções dessa comissão, que tem procurado passar o espírito de luta que precisamos para enfrentar as adversidades”, destacou o  professor Marcos Pontes de Moura.

Segundo o representante da categoria dos técnicos, Júnior Araújo, as reuniões nos campi tem tido o apoio das direções e a presença de estudantes, professores e técnicos. “Em cada unidade, a comunidade acadêmica tem colocado os problemas pontuais do local. A exemplo do Campus III (Palmeira dos Índios) onde os estudantes reclamaram da falta de espaço para desenvolver atividades acadêmicas”, explicou.

Entre os pontos abordados, está o valor dos recursos disponibilizados para o funcionamento da instituição. “Temos pouco recurso financeiro, mas a instituição está crescendo (agora somos seis campi), e a verba já não é mais suficiente”, disse Júnior Araújo.

De acordo com a Comissão, a comunidade acadêmica compreende que as demandas da Uneal devem ser levadas aos poderes constituídos, após serem amplamente debatidas no âmbito da instituição. Por isso, cada Campus está formando uma subcomissão que vai auxiliar na condução dos debates e levantamento das demandas.

Cada Campus terá uma subcomissão. “A criação das subcomissões trará a condição necessária para o campus ter autonomia de mobilização, bem como entendemos que seja importante os sindicatos (docentes e técnicos) e DCE (representação estudantil) assumirem o protagonismo de organização e luta pelos direitos da nossa Universidade”, explicou Marcos Pontes.

Os professores Antônio Marcos Pontes, Washington Viana, o estudante Ricardo Ferreira, além de Júnior Araújo compõem a Comissão.

Ações do documento

banner_lateral_SEI.jpg

sisu.png

sistema academico

sistema-academico-tecnico.jpg

CPL

logo prodic

revistas.png

egresso-frase.png

ouvidoria.png