Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Congresso de Cultura Afro Brasileira em Alagoas acontecerá na próxima semana
07/05/2012 - 16h40m

Congresso de Cultura Afro Brasileira em Alagoas acontecerá na próxima semana

Congresso será realizado de 16 a 18 de maio de 2012, no Clube Levino´s Gold, em Arapiraca (AL)

Congresso de Cultura Afro Brasileira em Alagoas acontecerá na próxima semana

Texto e fotos: Keyler Simões

A Universidade Estadual de Alagoas (UNEAL) estará promovendo mais uma ação do projeto Xangô Rezado Alto, criado para celebrar a memória do centenário do episódio conhecido por "Quebra de Xangôs de 1912", ocorrido em Maceió.

Desta vez, a UNEAL realizará o Congresso de Cultura Afro Brasileira em Alagoas, que acontecerá na cidade de Arapiraca, sede da instituição, entre os dias 16 e 18 de maio, no Clube Levino´s Gold, conforme programação a seguir, trazendo palestrantes de Pernambuco, Sergipe, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Bahia, além de mediadores e palestrantes de Alagoas, que discutirão temas como: O Quebra dos Xangôs de 1912; Movimentos de Resistência Negra; Formação Histórica das Religiões Afro Brasileiras, e Contextos e Nações Afro-Religiosas.

As inscrições para o Congresso são gratuitas e podem ser feitas pelo blog: xangorezadoalto.blogspot.com, até o dia 13 de maio e depois disso, podem ser feitas no primeiro dia do Congresso, em Arapiraca.

 Serão disponibilizadas 300 inscrições, com almoço garantido para os primeiros inscritos conforme a divisão a seguir:60 para Comunidades Terreiros de Maceió (sendo duas vagas por terreiro); 60 para Comunidades Terreiros de Arapiraca e adjacências;   80 para professores e alunos da UNEAL;   80 para professores e alunos da UFAL;  e 20 para convidados.

 O projeto Xangô Rezado Alto tece dois momentos até agora: as ações ocorridas nos dias 01 e 02 de fevereiro, datas do quebra, propriamente dito, quando foi realizado um grande cortejo pelas rua do centro de Maceió e diversas apresentações artísticas, além do pedido oficial de perdão feito pelo Governador de Alagoas, Teotonio Vilela Filho, em nome do Estado, às comunidades terreiro de Maceió pelas atrocidades cometidas há cem anos. E, mais recentemente, o evento realizado no último fim de semana, quando aconteceu o lançamento da Cartilha da Gira da Tradição, uma pesquisa sobre os saberes tradicionais utilizados e reproduzidos, de acordo com o pertencimento às diferentes linhagens étnicas com as quais se identificam  - Ioruba, Gêge, Nagô, Ketu, Angola entre outras e intercâmbio de saberes entre as diferentes linhagens religiosas; o vídeo Gira da Tradição, que ilustra o pensamento das pessoas que fazem a manutenção da memória e do desenvolvimento das casas religiosas de matriz africana em Maceió; e o número especial da Revista Graciliano, editado pela Imprensa Oficial, que tratará de diversos aspectos do "Quebra de 1912".

 Além disso, foi apresentado o espetáculo “1912: Orações e Vozes”, da Cia. de Dança Maria Emília Clark, em que representou cem anos depois, os bailarinos contextualizam o estigma da intolerância religiosa aos Orixás, Voduns e Inquices; a história da rota da escravidão em Alagoas e suas repercussões na atualidade. O espetáculo emocionou e arrancou aplausos da plateia de pé.



A noite teve como grande destaque a entrega da premiação do I Prêmio de Incentivo Cultural para Comunidades Terreiros, que premiou com R$ 6.000,00 (seis mil reais), cada, a dois projetos:

 - Tambores de Minha Terra, da Associação Cultural Tambores de Alagoas, que tem a Orquestra de Tambores como um de seus projeto mais reconhecidos;

- Maracatu nas Escolas, da associação Hùnkpàmé Alàirá Izó, do já reconhecido Pai Elias de Airá.

 A entrega dos prêmios foi feita pelo Reitor e vice-reitor da UNEAL, Jairo Campos e Clébio Araújo, respectivamente.

 
Programação do Congresso

 Quarta - 16 de maio

14 às 18h – Credenciamento dos Congressistas

 20h – Solenidade de abertura do Congresso

 20:30h – Palestra Magna com o Prof. Lepê Correia (UFPE)

22h – Programação Cultural

 

Quinta, 17 de maio

9 às 11h – 1º Tema: O Quebra dos Xangôs de 1912
Palestrantes:
Ulisses Neves – UFS (SE)
Yvonne Maggie - UFRJ (RJ)
Fernando Gomes de Andrade – Instituto Histórico e  Geográfico de Alagoas
Mediadora: Rachel Rocha Barros - UFAL
 

11h às 12h – Debate com a assembleia


12h às 14h – Almoço
 

14h às 16h - 2º Tema: Movimentos de Resistência Negra                      
Palestrantes: Luiz Sávio de Almeida - UFAL
José Bento Rosa da Silva - UFPE
Edson Bezerra - UNEAL
Mediadora: Maria Ester Ferreira da Silva - UFAL

 
Sexta,18 de maio

 9 às 11h – 3º Tema: Formação Histórica das Religiões Afro Brasileiras
Palestrantes: Roberto Mota (PE)
Irinéia M. Franco dos Santos - UFAL
Mediador: Clébio Correia de Araújo - Uneal
11h às 12h – Debate com a assembleia

 12h às 14h – Almoço

14h às 16h - 4º Tema: Contextos e Nações Afro-Religiosas                     
Palestrantes: Olusegun Akinruli – UFMG/Instituto de Arte e Cultura Yorùbá
Josilene Brandão - Minc
Makota Valdina (BA)
Célio de Iemanjá
Mediador: Jairo José Campos da Costa - Uneal


16h às 17h – Debate com a assembleia

18h – Encerramento e programação cultural

Mais informações e currículos resumidos dos palestrantes podem ser acessados pelo blog xangorezadoalto.blogspot.com, ou pelo telefone: (82) 3315-7892 ou pelo e-mail: projetoxango@gmail.com.

Ações do documento

sisu.png

sistema academico

sistema-academico-tecnico.jpg

BanneRegistro.jpeg

CPL

logo prodic

revistas.png

egresso-frase.png

ouvidoria.png