Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Em coletiva, reitor da Uneal fala do vestibular 2012 e das dificuldades financeiras da instituição
21/08/2012 - 17h10m

Em coletiva, reitor da Uneal fala do vestibular 2012 e das dificuldades financeiras da instituição

Em coletiva, reitor da Uneal fala do vestibular 2012 e das dificuldades financeiras da instituição

Em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (21), em Arapiraca, o reitor da Uneal Jairo José Campos da Costa informou que o contrato com a empresa MS Concursos será rescindido ainda esta semana.  A MS Concursos venceu a licitação, deste ano, para realização do processo vestibular 2012 da universidade. No entanto, em virtude da suspensão do certame pelo Tribunal de Contas do Estado, em 06 de agosto, a instituição de ensino decidiu cancelar o contrato.

Após a rescisão contratual, a Uneal irá realizar a contratação direta, por meio, da dispensa de licitação, da empresa que irá realizar o vestibular. A previsão é que a Fundepes seja contratada. O reitor Jairo Campos destacou que os candidatos que já efetuaram suas inscrições não serão prejudicados uma vez que os dados serão migrados para o servidor da contratada.

Jairo Campos ressaltou, durante a coletiva, que o processo licitatório realizado pela Comissão Permanente de Licitação da Uneal seguiu todos os princípios legais. “Tenho plena confiança na minha equipe de técnicos e tenho certeza que, em momento algum, houve favorecimento para qualquer empresa”, ratificou.

O reitor explicou ainda que a suspensão do TCE/AL atendeu à denúncia feita pela Master Consultoria, empresa que não compareceu ao pregão presencial, ao Ministério Público de Contas de Alagoas. Na contestação, a Master questionou a inadequação da modalidade de licitação utilizada. “Para o MPC/AL, deveria ter sido adotada a modalidade que enfatiza a melhor técnica e menor preço. NO entanto, ao realizarmos o pregão presencial foi exigido, por meio do termo de referência, a qualificação técnica das concorrentes”, afirmou o reitor.

O vice-reitor Clébio Correia de Araújo, o chefe de Gabinete, Odilon Máximo, e o pró-reitor de Desenvolvimento Humano, Wellyngton Chaves participaram da coletiva.

Dificuldades financeiras
Jairo Campos abordou ainda as dificuldades financeiras da Uneal. Segundo ele, o orçamento da instituição, de R$ 205 mil/mensais, não tem sido suficiente para atender as demandas da instituição.

A contratação de vigilância desarmada para os seis campi da instituição e o pagamento do aluguel de escolas para acomodação dos estudantes do Campus I – Arapiraca (o prédio da Escola Costa Rêgo onde funciona a unidade continua em reforma) são responsáveis pelo comprometimento dos recursos. As insistentes solicitações ao governo do Estado, segundo o gestor, não têm surtido efeito.

O reitor lembrou ainda que o concurso para professores efetivos e substitutos ainda não foi autorizado pelo Governo. O processo solicitando o concurso foi aberto no dia 07 de fevereiro deste ano. A previsão era de que ocorresse em junho deste ano. Além disso, os técnicos estão deixando a instituição, em busca de empregos que ofereçam melhores salários e condições de trabalho. “O semestre teve início ontem e não temos número suficiente de professores”, afirmou Jairo.
 
Docentes em estado de greve
O representante do Sindicato dos Docentes da Uneal, professor Luiz Gomes, frisou que a categoria está em estado em greve. “Queremos concurso público e assistência estudantil”, disse. Até o dia 04 de setembro, os professores irão realizar ações para chamar a atenção do governo para as reivindicações da categoria. Caso não haja sinalização do governo, os docentes afirmam que vão decretar greve.

Já os técnicos reúnem-se ainda nesta terça-feira, 21, em Arapiraca, para discutir as necessidades da categoria.
 
 

Ações do documento

banner_lateral_SEI.jpg

sisu.png

sistema academico

sistema-academico-tecnico.jpg

CPL

logo prodic

revistas.png

egresso-frase.png

ouvidoria.png